31 de out de 2017

O grande avião

Saudações caros visitantes,

Hoje vou mostrar mais uma pintura de um desenho feito durante o Inktober, mais precisamente, a do dia 16.


É engraçado, sempre quis participar de eventos como o Inktober, mas nunca tive gana suficiente para levar essa proposta à frente ou mesmo para começar o desafio. De certa forma, posso dizer que evolui um pouco. Já que nesse ano, não só participei do Inktober, como consegui entender um pouco do objetivo desses eventos e aprendi uma coisa ou outra com isso.
  • Entendi que fazer um desenho por dia, não é tarefa fácil. Só posso imaginar quanto rala um desenhista da Marvel ou da DC e como deve ser difícil fazer isso com prazo fechado para entregar. E observem bem, fiz desenhos simples, imaginem algo mais complexo.
  • Comprovei que realmente não sei usar nanquim bem e que lineart não é a minha praia.
  • Independente de quantos materiais eu estude e conheça, nenhum supera (para mim) o guache.
  • Não há nada como desenhar sem pressão, digamos assim, eu escolhi um tema para o inktober, ou seja, escolhi algo que queria estudar e desenhar há muito tempo e desenhei. E a cada dia, cada novo desenho, o próximo parecia mais fácil de se fazer que o anterior. Então de certa forma, confirmei a teoria que quanto mais tempo você passa desenhando, mais aprende e melhor fica. Na verdade, quanto mais você desenha, mais entende o que você pode fazer ou como, entende também que as vezes, limitações são barreiras criadas pela sua mente.
  • Preciso estudar mais, estou cansado de saber disso, é que agora, vou fazer isso, mesmo que não leve a nada, só quero conseguir desenhar e pintar qualquer coisa que eu quiser.
Agora que o Inktober acabou e que eu terminei de assistir Stranger Things 2, posso estudar e publicar no blog com maior frequência, ou ao menos, posso tentar fazer isso.

Estou tentando desligar o filtro que define "a qualidade" do que faço, desde que iniciei o Inktober e uma das vitórias que obtive, foi a de entender que não precisamos desenhar perfeitamente, mas sim, nos expressar da melhor forma que conseguirmos com o que temos à mão. Sempre haverá quem goste do resultado ou não. Sabe qual é a máxima para isso? Não importa, se você gostou, que se danem!

Para finalizar, quero que pensem em mais uma coisa. Não se sintam culpados ou tristes por começarem algo e logo depois, mudarem de ideia sobre aquilo. Quando você muda de opinião sobre algo, não quer dizer que você é fraco ou qualquer conceito parecido, quer dizer que você aprendeu que aquele caminho não lhe agrada mais. É natural mudar de opinião e isso não é crime!

Os materiais que utilizei na pintura do avião extra-jumbo foram:
  • Papel Canson Desenho 200 A4
  • Guache Talens
  • Lápis aquareláveis profissionais.
  • UniPin 0.1
  • Copic Gasenfude
  • Sakura Pigma FB e Pen 10 
  • Ecoline branca
  • Aqualine preta
Abraços e até a próxima.

2 comentários:

  1. Muito boas as suas considerações. Treino e prática ajudam e muito a evolução do artista. Eu tô tentando juntar a lineart que gosto com gouache que estou amando usar também. Continue a postar😃

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que gostou! :D

      O problema de juntar lineart e guache, é que depois que você termina a pintura, precisa retocar as linhas. Nesse quesito, a caneta nanquim com ponta esférica, Uni-Ball (http://www.mcexpart.com.br/2015/10/uni-ball-eye-fine-resenha.html), ajuda muito. A ponta dela não entope se você passar por cima do guache.

      Fico feliz que esteja gostando do guache, depois que conheci essa tinta, minhas possibilidades artísticas se expandiram.

      Abração!

      Excluir

Aguarde um pouco. Assim que eu ler seu comentário, ele será publicado e terei o maior prazer em respondê-lo.

Agradeço por comentar!

Um abraço e até breve.