15 de jun de 2017

Borrachas abrasivas

Saudações caros visitantes!

Hoje, vamos falar sobre um tipo de borracha da qual nunca gostei, as abrasivas. Para ser mais preciso, já falei sobre elas no blog, no post sobre borrachas, entretanto, desta vez, vou me aprofundar um pouco mais nesse assunto.

Digamos assim, depois de um bom tempo, enfim descobri uma utilidade para as borrachas abrasivas e não poderia deixar de mostrar para vocês.

Todas as áreas marcadas de luz foram feitas com o lápis de borracha
da Faber Castell. Esse desenho foi colorido com os lápis de cor da Norma.

As borrachas abrasivas, geralmente, são borrachas de latex que possuem em sua composição, algo parecido com areia, moída em grãos bem finos, fazendo com que essas borrachas se tornem lixas. De acordo com os fabricantes, elas são indicadas para "remover" tinta do papel.

Obviamente, tentei usar essas borrachas com tinta nanquim (dentre outros tipos de tinta), contudo, como não obtive sucesso, abandoei-as por um bom tempo. Então, recentemente, tive uma ideia interessante. No dia, estava lendo sobre retículas, enquanto criava um pincel para o Photoshop que simula lápis de cor e aí tive a ideia de testar essas borrachas com lápis de cor de verdade. E elas, além de funcionarem bem, se mostraram mais úteis do que eu esperava.


Possuo dois modelos de borracha abrasiva, a famosa Mercur azul e vermelha (imagem acima) e o lápis borracha da Faber Castell (imagem a seguir).


Ambas não custam muito e em tese, não são indicadas para grafite, por que alguns modelos podem manchar o papel, mas com lápis de cor, a história é diferente. Vejam os testes a seguir:

Nesses testes, o lápis borracha da Faber Castell removeu quase 100%
da tinta do lápis de cor, deixando o papel quase branco.

Para trabalhar bem com essas borrachas, recomendo utilizar papeis grossos, acima dos 120g, texturizados ou não. Em papeis muito finos, é possível que ao apagar, ou melhor dizendo, ao lixar a superfície do papel, você crie sulcos tão profundos que podem rasga-lo.

Essas borrachas podem ser utilizadas para corrigir detalhes no desenho ou simplesmente para criar pontos de luz ou áreas claras. Também produzem muita poeira ao serem utilizadas, ou seja, você pode precisar de um pincel ou de uma escova para limpar a folha.

Elas podem ser utilizadas tanto com lápis de cor comum, de cera, quanto com lápis de cor com minas aquareláveis.

DICA: a borracha da Mercur possui duas cores, mas não é simplesmente por estética, o lado vermelho é mais macio e menos abrasivo que o lado azul, ou seja, com o lado vermelho, você pode remover a tinta de áreas extensas e com o lado azul, fazer os detalhes.

Tenha sempre à sua disposição uma lixa, podem ser aquelas para unha, elas serão utilizadas para limpar ou filetar a ponta da borracha (para fazer detalhes), essas borrachas são quase tão firmes quanto as minas dos lápis de cor.

Outra coisa, geralmente, recomendo ser delicado ao utilizar os materiais de arte, mas nesse caso, se você for delicado demais, a borracha não limpará, mas sim manchará o papel.

Enfim, adorei ter "redescoberto" esse material, ele é muito útil para quem trabalha essencialmente com lápis de cor. Queria ter descoberto isso antes, mesmo assim, esta tudo bem, o importante é continuar evoluindo e aprendendo cada vez mais. O que ficou de experiência foi a simples constatação de que não há nada como o passar do tempo para clarear ideias que antes, estavam completamente obscuras ou ocultas

Espero que tenham gostado dessa resenha. Sei que faz muito tempo que não faço uma, tem sido cada vez mais difícil escrever para o blog (a Joyce entende), mas vou continuar lutando para não abandonar vocês, prometo.

Abraços e até breve.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Aguarde um pouco. Assim que eu ler seu comentário, ele será publicado e terei o maior prazer em respondê-lo.

Agradeço por comentar!

Um abraço e até breve.