14 de mai de 2017

Conexões perdidas

Boa noite caros visitantes.

Faz cerca de um mês que não publico nada aqui... O que acham de falarmos sobre isso?

Eu não sei dizer ao certo o que aconteceu, mas a sensação foi a de que algo quebrou dentro da minha mente, talvez um laço tenha se desfeito. O que importa, é que esse laço estava diretamente ligado à minha vontade de desenhar ou pintar. Então, eu perdi completamente qualquer ímpeto de fazer isso...

O que vou mostrar para vocês hoje, nada mais é que algumas tentativas de refazer essa conexão, por isso os desenhos que verão a seguir não irão fazer o menor sentido.


Utilizei ferramentas simples, lápis para fazer os desenhos (por vezes sem utilizar borracha), lápis de cor para fazer as variações de tons, nanquim e até minhas canetas de gel branco. Apenas na "azeitona", utilizei grafite, e, de certo modo, isso foi bem interessante, pude comparar o resultado do uso desses materiais.

Por fim, o último desenho que fiz foi justamente um reflexo de um dos sentimentos que gerou "a ruptura", a falta de sentido de fazer algo.


Comecei a questionar a função de continuar desenhando, depois comecei a questionar o motivo pelo qual escrevia neste blog e por que ainda o matinha ativo. É tão engraçado, você questiona o valor do que faz e o valor do seu conhecimento e chega a uma triste conclusão. Foi então que mais um laço se desfez, a parte mais difícil foi a de lutar comigo mesmo para não apagar todo o conteúdo do blog.

A sensação de vazio foi facilmente entendida. Escrevia mensagens, colocava em garrafas e lançava ao mar esperando que alguma delas fosse encontrada por alguém. E ficava a cada vez, mais e mais triste quando percebia que elas vagavam ao mar, sem nunca encontrar sequer uma praia de areias quentes para morrerem soterradas.

Enfim, ainda estou lutando para refazer essa conexão. Amanhã, o blog completa 3 anos de idade e não tenho sequer um desenho para comemorar a data. Mesmo por que, para fazer isso, antes, preciso encontrar a vontade e os motivos.

Há sim! Quase me esqueci... A diferença de colorir com lápis de cor e de utilizar lápis de grafite, é que o grafite consegue apresentar suavemente os tons de cinza utilizando sulcos muito pequenos do papel; já o lápis de cor (de cera), como possuem minas macias, preenchem sulcos maiores e apresentam tons menos delicados. Sem esquecer que não mancham o papel quando são utilizados. Estou adorando utilizar apenas lápis de cor para fazer tons de cinza.

Desejo a todos uma ótima semana e por enquanto, só posso dizer que, talvez, amanhã, eu faça uma postagem comemorativa.

Abraços e até breve.

5 comentários:

  1. Bem vindo ao mundo real, hahahaha!

    Brincadeiras à parte, eu tenho umas perguntas pra você: porque você desenha? O que te motiva a continuar fazendo os seus desenhos? É o que você pode obter com eles na internet, likes, retorno financeiro, ou é porque faz parte do Mateus?

    Falo isso pois muito tempo antes de você chegar a esse seu "rompimento" eu já tinha concluído o pensamento de que o Caixola é um espaço no qual eu registrava as minhas experiências e crescimento mais pra mim mesma do que pros outros, porque em aproximadamente 5/6 anos no ar eu nunca tive tanto alcance e diálogo assim com os leitores, exceto com alguns expoentes (você, Sílvia, Débora...). E olha que eu nem fico fazendo resenhas e tutoriais como você se dispõe. Só vou lá e falo da minha experiência mesmo.

    Ultimamente, até pelo bem do que eu gosto de fazer e da minha sanidade mental eu parei de esperar do blog e do contato com os outros. Quando tem, ótimo. Quando não tem, problemas! Se eu estou fazendo o que gosto e estou satisfeita com isso, é o que basta e o que importa no fim das contas.

    Compartilhe, se assim quiser, Mateus, mas não se esqueça que antes do blog, do Instagram, do Facebook, você já desenhava por algum motivo. Esse motivo deve estar aí, impedindo você de largar o lápis. :)

    Continue em frente, meu caro! Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Joyce!

      Eu desenho, por que isso traz paz para minha mente, é como terapia. Ultimamente, eu desenho apenas para manter meu portfólio atualizado, para testar novas formas de desenhar ou para aprender a utilizar melhor as ferramentas que tenho. Bom, retorno financeiro, eu já percebi que são casos raros, likes, eu nem espero mais.

      Então Joyce, o que aconteceu foi que com esse rompimento, o blog perdeu seu cerne que era justamente, os estudos e as resenhas de novos materiais para compartilhar com os visitantes. E o mais engraçado ou triste nisso, é que não sinto a menor vontade de fazer isso, não faz mais sentido.

      As pessoas não procuram mais blogs como antigamente, o que faz sucesso atualmente são os youtubers que muitas vezes, porcamente, fazem resenhas esdrúxulas de materiais que por mais que eu queira conhecer nesse momento, não tenho verba ou patrocínio para ter acesso. Sem contar àqueles que nem são ilustradores e recebem patrocínio das empresas de materiais de arte, só por que são famosos. Então, tanto faz, não importa mais.

      O rompimento foi mais sério do que eu imaginava, inclusive, assim que eu tiver tempo, vou fazer uma postagem falando sobre o efeito do tempo sobre cada um. Fiz 29 anos nesse fim de semana e é impressionante como as coisas me deixam de saco cheio hoje em dia. É como se eu não tivesse paciência para mais nada, tudo é enfadonho demais, ou desprezível demais para ter valor, para receber atenção.

      Nossa, nem sei se te respondi, o fato é que eu também só me comunico atualmente com vocês, o pessoal que eu acompanho desde de o começo do meu blog.

      Abraços e obrigado por comentar, meu blog ultimamente virou minha terapia. Ai meu deus...

      Excluir
    2. PS.: Esqueci de dizer que com esse rompimento, quem mais perdeu, foram as pessoas que acessam o blog em busca de resenhas, essas, vão ter que se contentar com o que já esta aqui. Pois não vejo nada nesse horizonte do blog por um bom tempo.

      Excluir
    3. Rapaz, se você não vê motivos em fazer, não faça. Faça o que te faz feliz e te traz paz de espírito. No fim das contas ninguém aqui te paga pelas resenhas (nem patrocínio) então porque se importar. Se as resenhas te dão empolgação, faça. Se não dão, não faça. É simples. Procura o que te faz feliz, amigo!

      Só se preocupe com isso. A vida é assim mesmo, é transitória, tudo é passageiro. As coisas que fazem sentido hoje podem não fazer daqui há pouquíssimo tempo. Não se apegue a esse sentimento passageiro. Deixa ele passar e vai atrás do que te traz coisas positivas, beleza?

      Se quiser trocar ideia, cê sabe o caminho das pedras pra conversar comigo! Fica a vontade pra conversar, cara! :D

      Abração e fica bem!

      Excluir
    4. Joyce, obrigado pelo comentário. Estou nessa "vibe" mesmo. Por isso as últimas postagens foram digamos assim diferentes. Se eu não vou postar as coisas que tinha costume, vou postar qualquer coisa que eu queira.

      Muito obrigado pelo comentário. Ajuda demais esse tipo de empurrão, você não tem noção.

      Abraços!!!

      Excluir

Aguarde um pouco. Assim que eu ler seu comentário, ele será publicado e terei o maior prazer em respondê-lo.

Agradeço por comentar!

Um abraço e até breve.