31 de jan de 2017

MAPED Color'Peps Aquareláveis

Saudações caros padawan's!

Estou com pouco tempo esses dias, mas não quero deixar vocês sem novidades por um longo período, então hoje, vou postar mais uma resenha. E as estrelas do show de hoje são os lápis de cor aquareláveis Maped Color'Peps.


Então, olhos atentos e vamos começar!

Vejam a seguir, a caixa dos lápis, ela é de papel cartão e ainda vem com uma estrutura interna de plástico que acomoda bem os lápis. O vazado na face da caixa mostra uma parte de seu conteúdo e no lado direito, um encaixe especial acomoda perfeitamente um pincel.


Os lápis tem o corpo triangular e se aninham perfeitamente entre os dedos. Além disso, são muito bonitos, um grande ponto a favor desses materiais.


Os lápis também têm impresso em sua superfície, a marca, o modelo dos lápis, o desenho do pincel que indica que o lápis é aquarelável e o nome da cor. E vejam só, outro ponto a favor desses lápis, os nomes de algumas cores são bem divertidos.

 

Os nomes das cores estão em inglês, mas não importa, acho que a exigência do nome de cor impressa no corpo do lápis só é importante para mim. Mas uma coisa me incomodou nessa caixa de lápis de cor, vejam na lista acima, ao meu ver as cores que estão com o traço vermelho na frente do nome, podem ser substituídas por outras cores que faltaram nessa caixa.

(Por exemplo, o Lemon Yellow poderia ser substituído por um Ocre, já que o Dune é claro demais para fazer esse trabalho. O Gaia e o Woody Brown têm quase a mesma cor, ou seja, um deles poderia dar lugar para um cinza frio. Já o Strawberry ou o Lovely Pink, poderia ser substituído por um verde água, já que Blue Lagoon até tenta fazer esse papel, mas não é bem sucedido. E por fim, por que a caixa tem quatro lápis com tonalidade em torno do roxo e do lilás? É demais...) Pessoal, confiram nessa postagem as novidades, pois mudei de opinião.

Sou chato e reclamo mesmo, mesmo assim, reconheço os trunfos dessa caixa, os lápis Jugle Green (verde militar), o Marsh Mallow (lilás claro) e o Dune (amarelo areia ou creme).

As minas tem cores muito bonitas e a espessura é de aproximadamente 3 mm e eu sei que não chega a ser um defeito, mas um material desse porte e valor, merecia no mínimo uma mina de 4 mm de espessura, assim como a maioria dos seus "concorrentes".




A madeira do lápis, aparentemente parece ter qualidade ruim, mas é bem resistente. As cores dos lápis também se aproximam bem às cores das minas.

Agora vamos falar sobre o detalhe mais importante, as minas.

Vejam ao lado, a área que está marcada com o número 1, é um teste de sobreposição de cores para a composição de um degradê. As cores se misturam muito bem e as minas, apesar de resistentes, são macias e bem pigmentadas, resultando em cores vivas e intensas. Para fazer esses testes, utilizei papel Canson Desenho 200gr. O número 2, demonstra o mesmo degradê, mas mesclado com o lápis branco, o "Xtra White" sendo aplicado como blender. Não sei se a foto esta mostrando, mas ele mesclou bem as cores. O número 3, demonstra o degradê das mesmas cores, contudo, aquarelado e o resultado ficou bem bonito.

Como disse anteriormente, as cores são bem pigmentadas, vejam a seguir a mina do "Ultra Violet" diluida até se tornar completamente translúcida. Ao lado, vocês podem observar que, no teste da borracha, essa mina não passou, ela não pode ser apagada, mas isso, eu já esperava.


Outro teste que não podia ficar de fora era o de sobreposição de camadas de cor, e a cor que utilizei, também foi muito bem.


Enfim, o pincel da caixa é muito simples. As cerdas são macias (provavelmente de pelo de orelha de boi) e o cabo é de plástico e eu não esperava nada melhor que isso, esse não é um material profissional.


Para finalizar, os lápis da Maped são tão bons quanto os da Faber Castell e a faixa de preço é praticamente a mesma, então vale o custo e o teste. Acredito que você não se arrependerá.

Pessoal, essa postagem também não foi patrocinada, então se você gostou, compartilha com seus conhecidos e amigos em suas redes sociais. Comenta, diz se ficou bom ou ruim. E você até pode não acreditar, mas isso ajuda muito. Vai que em um desses compartilhamentos o blog bomba e posso me dedicar integralmente a vocês.

Bom, brincadeiras à parte, espero que tenham gostado de mais uma resenha. Até fiz um desenho e colori com esses lápis para mostrar a vocês, o problema é que na hora de finalizar, achei que o desenho tinha ficado ruim, rasguei e joguei fora. Não por causa dos lápis, claro, só percebi que o desenho ficou ruim mesmo. Mas juro que assim que possível, mostro para vocês outro desenho feito com esses lápis.

Quem quiser conferir os testes desses lápis, acessem a postagem que fiz clicando aqui.

Abraços para todos e até breve.

4 comentários:

  1. Eu tennho os lápis dessa marca, mas não são quareláveis. Eles tem boa pigmentação, mesclam bem e tudo mais.
    Gostei da sua resenha e quando der compro esses aquareláveis.
    Abs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Silvia, eu gostei muito desses lápis e recomendo. O problema é que estou com pouco tempo para publicar uma postagem da forma como gosto, desenhando e colorindo até a mão doer. Abraços!

      Excluir
  2. Eu comprei uma caixa de lápis aquarelavel da faber castell, de 12 cores e achei muito interessante esse tipo de lápis. Só tinha visto coisas assim pela internet, e eu pensava que tinha que molhar a ponta do lápis na água (pode rir de mim sauhsauhsu'). Só que eu só fiz um colorido com ele, porque a folha que eu tenho enruga tudo na hora de passar o pincel. Que tipo de papel você recomenda pra esse tipo de coisa? Gostei demais desse tipo de lápis, e eu lembro de ter visto essa caixa da sua resenha quando comprei a minha, vou dar uma olhada de novo quando passar na papelaria

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Marina, fez uma boa compra. Eu não posso rir de você, por que essa é uma das formas de se utilizar lápis aquarelável e é a que mais utilizo. kkkkk

      Agora, aquarela é chato, se não tiver um papel mais forte, fica difícil aquarelar. Você pode utilizar papel próprio para aquarela da Canson, ele tem 300 g e é acessível e não enruga tanto. Agora, para experimentar toda a magia da aquarela, você precisaria usar um papel um pouco melhor, como o Montval ($$$$$$). Contudo, utilizo o papel Canson Desenho 200 g e ele me atende perfeitamente. Já que utilizo uma técnica de aquarela menos aguada. Ele até enruga um pouco, mas eu gosto.

      Confira nesse link, dicas sobre aquarela: http://www.mcexpart.com.br/2014/10/minhas-tecnicas-lapis-aquarelavel_28.html

      Excluir

Aguarde um pouco. Assim que eu ler seu comentário, ele será publicado e terei o maior prazer em respondê-lo.

Agradeço por comentar!

Um abraço e até breve.