8 de set de 2016

Guache Talens – Resenha - Parte1


Saudações caros visitantes!

Até que enfim vou falar sobre a tinta que mais utilizo, a guache e nessa primeira postagem você irá conhecer o material e o que é preciso ter para usá-lo. Na(s) próxima(s) postagem(ns) vou ensinar como construir sua própria paleta de cores e em seguida, mostro como utilizá-las. Como é muito conteúdo, resolvi dividir tudo em duas ou três postagens.

Para começar, vamos falar sobre o que é a tinta guache e como ela começou a ser utilizada. A seguir, vocês podem ver exemplos de trabalhos feitos com guache, por grandes mestres em pintura.

Aid for the Wounded (Sister of Charity)Alexandre-Marie GuilleminThe Walters Art Museum
Interior, St Etienne du Mont, Paris,
Charles Louis Lesaint. 
The Walters Art Museum.
A postagem ficou muito grande para ser exibida em uma página do blog, por isso, clique no link que tem logo a seguir para conferir o conteúdo completo.


O que é a tinta guache?

A tinta guache ou tempera guache é um tipo de tinta que possui composição muito parecida com a aquarela. Li sobre guache em alguns livros e sites e há quem a considerada, uma aquarela opaca ou uma aquarela pobre, por causa do acréscimo de pigmento branco em sua composição, componente que lhe concede grande poder de cobertura ou melhor dizendo, opacidade.

A (tinta) guache é basicamente uma mistura de aglutinante (goma arábica), com pigmento branco e pigmentos coloridos, além da glicerina que lhe concede umidade e elasticidade, dentre outros componentes químicos.

Sua principal qualidade é a de permitir que camadas de cores claras sejam adicionadas sobre camadas de cores escuras, desde que estas camadas inferiores estejam secas.

Fonte: https://en.wikipedia.org/wiki/Gouache
Fonte: http://www.craypas.com/products/
lineup/detail/43.php
O principal diluente da guache é a água, mas você pode utilizar também o médium acrílico (solução de glicerina e água) que aumenta seu tempo de secagem.

Outro aditivo muito importante para a guache é a goma arábica, que diminui seu tempo de secagem, aumenta a aderência da cor e ainda lhe concede brilho e transparência.

Na idade média, utilizavam guache para fazer iluminuras (ilustrações em livros), recentemente ela passou a ser utilizada por artistas e designers para compor provas de cores de marcas, peças gráficas e similares. Também foi muito utilizada para a confecção de cartazes e posters, o que lhe concedeu também o nome de tinta poster (há marcas que ainda mantém essa nomenclatura). Atualmente, a guache, assim como outras tintas, é utilizada apenas como material artístico.

Guache é uma palavra oriunda do Italiano "Guazzo", que significa tinta de água. De acordo com a Wikipedia, esse termo foi "cunhado" na França, no século XVIII, embora o material remonte ao século XVI.

A guache praticamente não tem cheiro e você pode ter acesso ao material através de potes de vidro, bisnagas e até em pastilhas. Diversas marcas (inclusive nacionais) disponibilizam diversas cores prontas, contudo o mais divertido da guache é que, assim como outras tintas, com as cores processo; Ciano, Magenta, Amarelo, Branco e Preto, você pode criar qualquer cor. Basta entender um pouco de teoria da cor.

Guache em Pastilha - Fonte: http://www.coisasdopassado.com.br/
estojo-de-guache-em-pastilha-caran-dache-made-in-swiss-699xJM

Vou mostrar especificamente o uso da tinta guache da Talens. É uma marca de tintas importadas que se não me engano (faltou fonte para confirmar), foi fundada na Holanda, tem renome mundial e é sinônimo de qualidade.

Por enquanto não posso recomendar outras marcas de tinta guache para vocês, pois nunca utilizei a não ser Talens, mesmo pagando mais caro por isso. Com as tintas da Talens, eu tenho certeza que se misturar magenta e amarelo nas proporções certas, posso obter uma tonalidade de vermelho tão estável, que não há variação de cor mesmo se ela for completamente diluída em água (só não mantém sua transparência).

Fonte: http://www.sinoart.com.br/
product_info.php?products_id=10548
Essa postagem não foi patrocinada e ela só se tornou essa declaração de amor à Talens, por causa da confiança que tenho na marca.

Mas por enquanto, não estamos aqui para falar sobre as tintas e agora que já sabe o que é a guache, vamos falar sobre o que você precisa ter para utilizá-la.

Materiais de trabalho

Separei em um estojo, com uma divisão, paletas de um lado e ferramentas do outro, ferramentas que coletei com o passar do tempo. Kit de materiais que aprendi a utilizar e que vou ensinar para vocês. Esse estojo é como uma parte do meu corpo, ele pode ser encontrado no fundo da mochila, acompanhado de papel e lápis. 

E as ferramentas são:
  • Pinceis
  • Borrifador pequeno com água
  • Médium Acrílico
  • Pincel com reservatório de água
  • Ecoline na cor branca
  • Godé
  • Espátula ou material similar
  • Suporte (papel)
  • Paleta de cores


Pinceis

Para a tinta guache, recomendo utilizar pinceis com cerda sintética e macia. Eles são baratos, absorvem quantidades aceitáveis de água e dispõe de boa precisão de pincelada.
Você também pode utilizar pinceis para aquarela, com pelos macios como os de pelo de boi, mas esses pinceis são menos precisos nas pinceladas que os anteriormente citados. Eles também absorvem uma quantidade maior de água e ficam úmidos por mais tempo. É bom testar ambos!
Já testei alguns pinceis de pelo sintético e adorei o kit que comprei, da Sinoart, confiram nessa postagem a avaliação deles.

Borrifador

Comprei um borrifador pequeno (pode ser carregado dentro do meu estojo), que custou cerca de R$ 1,50 e é mais que o suficiente para o que faço. 
Utilizo ele para umedecer a tinta ou o papel antes de começar a pintar. 

Médium Acrílico

O médium acrílico é o material ideal, tanto para manter a tinta úmida por mais tempo, quanto para conferir homogeneidade às misturas de tintas. Utilizo o médium acrílico da Acrilex e não tenho do que reclamar, bom e barato. Pouquíssimas gotas de glicerina também resolvem.
Deixo meu médium acrílico dentro de um vidro de remédio em gotas, desses de 15 ml ou 20 ml. Cabe no estojo e é isso que importa.


Pincel com reservatório de água

Esses pinceis, além de ser utilizados para pintar, também funcionam como blender, dissolvendo e misturando as camadas superiores de tinta com as inferiores.

Ecoline branca

Para fazer as áreas esbranquiçadas ou de estouro de luz da pintura, recomendo utilizar a tinta Ecoline branca, diluída com uma pequena quantidade de água ou de médium acrílico para que fique mais fluída. Como essa tinta seca muito rápido em seu estado natural, esse acréscimo de diluente, permite criar traços longos e estáveis e detalhes precisos.
Para não carregar o potinho de Ecoline com você, coloque um pouco da tinta em um frasco pequeno que vede bem. O meu vidro, reutilizei de uma amostra de loção adstringente que ganhei e o tamanho dele é perfeito, cabe em qualquer lugar, super compacto.

Dica preciosa: Reserve o guache branco para criar novas cores para sua paleta. Se você ficar utilizando ele para fazer estouros de luz, pode acabar sujando a tinta com um pincel que não foi bem lavado e isso não é bom (interfere nas cores claras que você criar). Isso não acontece com a Ecoline, ela é líquida e não absorve nada do pincel, mesmo que esteja sujo.

Se você esta pensando em reclamar do preço da Ecoline branca, pare agora mesmo, esse material vai durar uma vida inteira, rende muito mesmo e é Talens também, então não dá para questionar, a qualidade é alta. Até hoje, só comprei Ecoline branca uma vez e não vejo quando ela vai acabar.

Godé

Godé eu deixo à sua disposição, opte pelo que melhor lhe atender. Como eu preciso de algo que não ocupe espaço ou pese muito, utilizo um pequeno estojo de compasso escolar da Tilibra. Ele me atende perfeitamente, já que possuo (até o momento) 46 cores prontas (incluindo os potes de ciano, magenta, amarelo, preto e branco), então não preciso ficar misturando muito.
Dos testes que fiz, sem sombra de dúvidas, o melhor godé que encontrei foi o de porcelana, o chato é que ele pesa dez vezes mais que qualquer godé de plástico.


Espátula

http://izabellatutoriais.blogspot.com.br/
A espátula serve para retirar a tinta de dentro do pote para passar para a paleta, atualmente, utilizo uma esteca que lembra um bisturi, antigamente utilizava um instrumento metálico utilizado para retirar cutículas (descobri isso através da Naneh), comprei em loja de material de beleza mesmo. E sempre me serviu muito bem. Então, seja criativo!

Suporte

Como o guache é uma tinta que trabalha com a água como diluente, é necessário que se utilize como suporte, papeis mais espessos, próprios para técnicas aguadas (aquarela) ou para técnicas mistas.
Mesmo assim, já utilizei papeis de gramatura baixa, entre 90g e 200g e eles suportaram a tinta guache muito bem (mesmo enrugando um pouco). Mas lembre-se, esses papeis são frágeis para essa técnica de pintura, então é necessário trabalhar com pinceladas umedecidas ou quase secas. Não trabalhe com pinceladas aguadas demais, também não passe o pincel úmido sobre a mesma área repetidamente, isso pode dissolver a superfície do papel até furá-lo.
Sabe aquele papelão duro que serve como base para os blocos de papel? Ele lembra muito papel Paraná e tem excelente qualidade para se trabalhar com guache, se você duvida, confira essa postagem.

Bom pessoal, por enquanto é somente isso. Mas para finalizar com chave de ouro, vou mostrar para vocês um vídeo da Audra Auclair, em guache, a qualidade de trabalho dela é um dos Everests que pretendo alcançar. Confiram o canal dela, é muito foda!


Acessem este link e confiram a parte 2 dessa postagem.

4 comentários:

  1. amo a audra! curti seu blog, vou conferir com frequencia :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fernanda? Seja bem vinda!

      Obrigado! O trabalho dela é muito bonito. Fique à vontade, a "casa" é de vocês.

      Abraços!

      Excluir
  2. Que beleza de post! Feito com amor.
    Adquiri recentemente algumas cores metalizadas da Talens. Devo usá-las em um projeto de caligrafia artistica.
    Saberia me dizer, Mateus, se a Talens tem bom desempenho com bico de pena sobre papel pólen bold com 90 de gramatura? E que pena você recomendaria para essa combinação?
    Um abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Agradeço pelo comentário.

      Nunca usei papel Pólen, tão pouco usei guache com caligrafia, então não posso lhe dizer nada "especificamente" sobre isso. Entretanto, o papel utilizado no Sketchbook One da Canson é 90g (eu já usei muito guache nele) não é um papel comum como o sulfite 90g.

      No meu caso, o único empecilho que tive, é que o papel ficava um pouco enrugado, assim que eu terminava de fazer a pintura, mas bastava colocar algo pesado sobre ele para prensá-lo e ficava tudo perfeito.

      Acredito que você não vai ter nenhum problema com guache nesse papel, principalmente, por que a área que receberá a tinta não será muito extensa.

      Outra coisa com água você dilui a tinta guache perfeitamente, só não acrescente muito para não deixar a tinta transparente demais (a não ser que essa seja a intenção).

      Para obter o equilíbrio entre fluidez e elasticidade, necessário para que a tinta trabalhe bem com o bico de pena, acrescente algumas gotas de médium acrílico à mistura. A tinta ficará delicada e demorará para secar, lhe dando tempo suficiente para escrever. O guache seca muito rápido em contato com o ar.

      Para acelerar a secagem, coloque a folha exposta a um ventilador.

      Espero ter ajudado de alguma forma.

      Abraços!

      Excluir

Aguarde um pouco. Assim que eu ler seu comentário, ele será publicado e terei o maior prazer em respondê-lo.

Agradeço por comentar!

Um abraço e até breve.