11 de nov de 2015

Sakura Pen-touch - Resenha

Saudações caros visitantes!

Hoje, quero apresentar mais um material interessante que vai auxiliar vocês em seus desenhos e pinturas. "No que se refere" a traços ou áreas brancas, essa caneta manda muito bem.

Flor da árvore Sakura
Como havia dito em postagens anteriores, tenho muito material para avaliar e pouco tempo para fazer isso, mas aos poucos, tudo se resolve.

Estou trabalhando no desenho para a resenha do lápis de cor Labra e em conjunto com a caneta Uni-ball Signo - Angelic Colour White – famosa caneta gel branca – (resenha em breve), venho utilizando frequentemente a caneta Sakura Pen-touch.

Perto da tampa, há um lacre que se for removido, "pode" danificar
o funcionamento da caneta. Não sei o que aconteceria se fizesse isso.
Contudo, confesso que estou louco para remover esse adesivo.
Essas canetas são ótimas para fazer reflexos de luz, além de algumas correções. E funcionam muito bem, principalmente quando a técnica utilizada é o lápis de cor comum (não aquarelável). Como não poderia ser diferente, estou gostando muito da caneta, mesmo encontrando pequenos defeitos. Como o preço que é um absurdo.

Essa postagem não é patrocinada e como já sabemos qual é o assunto dela, vamos à resenha.


Principais características 
  • A caneta escreve em qualquer superfície, lisa ou áspera.
  • A tinta seca assim que você termina o traço (no papel).
  • Tinta opaca como guache, ou seja, tem alto poder de cobertura.
  • Ponta fina: 1 mm (você consegue fazer traços de até 1 mm de espessura, tudo vai depender do ângulo que você utilizar a caneta)
  • O sistema de liberação da tinta é tipo Spray – Antes de usar, é preciso agitar bem a caneta para que o óleo e os pigmentos se misturem dentro do reservatório. E então, basta pressionar a ponta "vai e vem" contra o papel e manter assim por pouco tempo. A tinta molha o feltro da ponta e permite que você utilize a caneta.
  • Disponível em diversas cores (bronze, dourado, prateado, azul, verde, amarelo, vermelho e roxo), mas no Brasil, só vida da branca e da preta (essa, somente pela internet na loja A Casa do Artista).
  • Produto importado do Japão.
  • Observe a imagem ao lado, o corpo da caneta é de alumínio rígido, super leve e resistente.

No Japão você encontra essa linha Pen-touch em duas famílias diferentes, a Marker (a que estou avaliando) e a Calligrapher (na loja ArtCamargo tem). A ponta da Calligrapher é chanfrada e tem espessura que varia de 1.8 mm a 5 mm e é utilizada para caligrafia (dã...). No Japão você encontra a Marker nas espessuras: 0.7 mm, 1 mm e 2 mm. Fico impressionado, são produzidas no Japão as canetas de desenho mais fantásticas do mundo.

Pontos negativos
Acredito que o "F" da tampa, possa
ser transcrito por "Fine".
  • Nenhum dos pontos a seguir é tão negativo quanto o custo do produto. O preço vai variar de R$ 17,00 a R$ 22,00.
  • Ela não é recarregável (o meio ambiente não agradece).
  • Em qualquer superfície, com apenas um traço, a caneta entrega branco puro. Diretamente sobre o papel você vai precisar de outras camadas para obter o mesmo resultado.
  • A ponta de feltro precisa ser tratada com cuidado ou você pode perder a precisão do traço antes mesmo de usar metade da tinta do reservatório.
  • A tampa não pode ser afixada ao corpo da caneta enquanto ela é usada, tome cuidado para não perde-la. Mesmo assim a tampa foi bem feita e veda bem.
Avaliação pessoal
A caneta é cara, mas justifica o custo. Já que além de prática, ela cumpre o que promete consideravelmente bem. Não posso dizer nada sobre o rendimento dela ainda. Como disse anteriormente, quando aplicada diretamente sobre o papel, ela não apresenta branco puro, você precisa de duas ou três camadas para obter esse resultado, sobre tintas mais densas como o guache, o resultado é melhor. Contudo, isso também pode ser usado ao seu favor, já que desta forma ela pode entregar um brilho menos marcante.

No corpo da caneta você encontra informações de uso em Espanhol, Francês,
Alemão e Inglês. Podem me corrigir se errei algum. 

Eis a questão, recomendar, sim ou não?
SIM! Principalmente pela praticidade, já que ela pode ser usada com qualquer técnica de pintura ou desenho, exceto pastel seco não selado (finalizado com verniz fosco). Enfim, é uma caneta muito boa, assim como a maioria dos materiais da Sakura que testei. Mas nesse caso, se você puder optar (vai gastar mais $$$) pela PCF-350, faça isso e me conte o que achou, sou louco para testar essa caneta.

Além do desenho que está na abertura da postagem, a seguir, vocês podem ver um desenho (bem simples) que fiz, utilizando papel preto (sem textura), caneta Sakura Pen-touch branca, lápis Dermatograph 7600 branco da Mitsubishi e o lápis Mondeluz branco. A parte mais chata foi a de ter que desenhar sem poder refazer os traços.


Espero que tenham gostado da resenha, abraços e até a próxima.

6 comentários:

  1. Oi Mateus, ótima resenha, vou colocar na indicação de links do mês :)
    Achei essa caneta similar à Posca branca, que é boa, mas me dá nos nervos até o pigmento embeber o feltro da ponta e ficar da consistência que eu quero. Por isso prefiro a caneta gel para os detalhes. O resultado na folha escura ficou muito bom.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lidiane, fico feliz por saber que vai indicar. *o*

      Também tive uma grande decepção com a POSCA, mais precisamente a PC-1M. Que no início foi amorzinho para lá e para cá, depois de um tempo só de olhar para ela, ficava triste, acabei jogando fora e até hoje não sei se isso acontecia por que a tinta estava acabando ou se foi por incompetência minha para entender como ela funcionava. kkkkkk Mas ainda quero testar a PC-1MR e a PCF-350 brancas.

      Já com a caneta gel, é de lua, tem dias que funciona perfeitamente, tem dias que não. Acho que ainda não peguei o jeito de utilizá-la ou estou aplicando nas técnicas de pintura ou papel errados.

      Obrigado pelo comentário, abraços e até a próxima.

      Excluir
    2. Pois é, minha relação com a Posca ainda oscila entre ela não ser tão boa mesmo ou eu ser uma completa inútil em entender o seu funcionamento hauhsuahsuha, mas sinto o pigmento meio "ralo", na maioria das vezes, o que não acontece com a dourada... por isso me interessei na da Sakura.
      Logo, logo, o post estará no ar ;)

      Excluir
    3. A tinta da minha também ficou rala, acho que é algo da POSCA mesmo.

      A prateada que eu tenho também não falha.

      Vou conferir, valeu.

      Excluir
  2. vo entrar aqui no debate pq eu to penando com minha posca branca,nossa que canetinha chata! a caneta gel branca da sakura da de 10 a zero nela,eu lambuzo minhas pinturas com varias camadas de tinta, lapis de cor aquarelavel e essa caneta gel ainda pega em cima de tudo!ela tem uma pigmentação incrivel! vo comprar essa sakura pra dar uma experimentada tbm!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essa Sakura Pen-touch é muito boa, eu recomendo, o problema é que é cara.

      A minha caneta gel branca falha às vezes, não sei se é por causa do papel que eu utilizo ou da tinta/técnica empregada no desenho, ou se é falta de habilidade minha mesmo.

      Mesmo assim, essas canetas têm marcado presença nos meus últimos trabalhos.

      Já a composição da tinta da Posca PC-1M, não é tão consistente quanto a das outras Poscas. Quero testar a PCF-350, acho que ela não tem esse problema.

      Obrigado pelo comentário Gabriela. Suas pinturas são psicodélicas e incríveis. Sem contar sua técnica, que dá gosto de ver.

      Abraços!

      Excluir

Aguarde um pouco. Assim que eu ler seu comentário, ele será publicado e terei o maior prazer em respondê-lo.

Agradeço por comentar!

Um abraço e até breve.