8 de ago de 2014

Branco - Parte 1

Bom dia, pessoal!

Hoje quero falar sobre "tinta branca", pois, no decorrer dessa semana e da semana passada, esse foi meu assunto principal nas buscas da internet. Li sobre isso em diversos sites, adquiri alguns materiais novos e voltei a utilizar materiais antigos.

Quero demonstrar a experiência que obtive com a cor branca ou com os materiais que utilizo para obter esse resultado. Segue a lista por qualidade de resultado:
  1. Ecoline Branca NOVO
  2. Nanquim (tinta da China) branco Acrilex
  3. Caneta Angelic Colour da Mitsubishi White (famosa caneta gel branca)
  4. Caneta Posca Branca
  5. Tinta branca Guache Talens
  6. Lápis aquarelável branco Faber Castell
  7. Corretivo (caneta e vidro)
  8. Tinta acrílica branca Acrilex Fosca
  9. Tinta acrílica branca Acrilex Brilhante
Neste primeiro post, não vou falar de todos os materiais, caso contrário ele ficaria muito grande. Vou falar dos três últimos primeiramente.
Deixei de fora da lista o Branco da tinta óleo por que por enquanto vou demonstrar apenas os materiais que utilizo para desenho ou pintura com materiais à base de água. Os materiais de pintura à óleo serão abordados posteriormente.

Vamos começar com o material que me deixou mais infeliz, a tinta acrílica branca brilhante. Comprei o potinho da Acrilex, por que, além de ser barato, foi o único que encontrei quando fui à papelaria.

Entenda algo, com esse post não estou questionando a qualidade dos produtos da Acrilex, observe, um dos primeiros produto da lista é justamente da Acrilex. É por que a experiência com esse material específico não foi boa.


9º lugar - Tinta acrílica branca brilhante Acrilex.

Esse potinho de 37 ml custou R$ 2,50. Muito barato, mas não serviu para o que eu queria fazer. Nos testes de aquarela e guache, às vezes preciso de áreas com brilho intenso e depois de ler o blog No Canto da Mesa, resolvi testar a tinta acrílica para fazer isso.

Não indico essa tinta para fazer o branco dos desenhos por que:
  • Utiliza-la com a consistência que está no pote, não permite que detalhes sejam feitos, pois a viscosidade da tinta não trabalha bem com pinceis delicados ou de filetes.
  • Ela é "brilhante", então quando seca, cria uma camada que se parece esmalte, meio impermeável e que não lhe permite modificar a pintura ou o desenho posteriormente.
  • Funcionou bem para clarear as cores, principalmente quando utilizada com pincel Koi embebido em água, mas quando seca, apresenta o problema do item anterior.
  • Se secar no pincel, compre outro, esse você não tem mais, tinta acrílica é complicada assim como a que é a base de óleo.
Enfim, não estou dizendo que a tinta é ruim, acredito que para artesanato essa tinta seja perfeita. Ela realmente brilha quando seca, mas não serviu para fazer brilhos em desenhos.

8º lugar - Tinta acrílica branca Acrilex Fosca.

Essa versão fosca da tinta acrílica obteve melhores resultados que a tinta brilhante. Ela pode ser utilizada tanto para o branco puro, quanto para clarear cores. Contudo, você vai precisar utilizar algumas camadas da tinta diluída para trabalhar com detalhes. A viscosidade dessa tinta tem as mesmas propriedades da tinta anterior. E no fim a camada que ela cria sobre o papel atrapalha mais do que ajuda. Mas a tinta acrílica fosca é muito boa para selar telas, madeiras e outros tipos de suporte que posteriormente receberam camadas de tinta, a base água ou não, apesar de existir o selante acrílico para tela.

Vale à pena testar, principalmente por causa do preço.

Para artesanato ela é perfeita, deixa objetos com uma leve sensação de veludo o que no nosso caso não ajuda em nada. Na técnica de découpage, acredito que essa tinta seja essencial.

Essa avaliação vale apenas para o uso das tintas acrílicas brancas como item auxiliar nos desenhos. Em pintura, essas tintas trabalham perfeitamente umas com as outras, mas isso é assunto para outro post.

7º lugar - Corretivo

Pode ser obtido em forma de caneta ou vidro e há que o chame de "errorex" ou branquinho.

O corretivo é um material complicado de se utilizar, mas pode fornecer resultados de excelente qualidade quando bem empregado. No entanto, existem diversos problemas decorrentes do uso do corretivo que precisam ser considerados, já que eles podem complicar sua vida. Observe os que identifiquei:
  • Certas marcas possuem tinta líquida ou espessa demais.
  • Dependendo da marca, demoram muito tempo para secar em relação ao nanquim branco, ao guache e a caneta posca.
  • O excesso de água na composição da tinta, danifica o papel se ele não for de gramatura alta, sendo assim, quando for comprar um corretivo, procure os que possuem fórmula à base de solvente, não de água. Você vai pagar mais caro por isso, más o material justifica o custo.
  • A caneta não possui traço contínuo de qualidade, mas o resultado do trabalho final tem qualidade maior. Já a esfera da ponta, se é que é uma esfera, assim como as das canetas esferográficas, interfere na qualidade e espessura do traço. 
  • Esse material pode ressecar e ficar quebradiço, dependendo da marca, do tempo de uso, do papel, da fórmula e da forma como é utilizado.
O interessante do corretivo é que ele pode ser utilizado praticamente sobre qualquer suporte. Para garantir a qualidade do trabalho final, basta selar a pintura ou o desenho com verniz. Ainda assim, recomendo seu uso restrito à pequenas áreas, eu já fiz isso algumas vezes. Contudo existem materiais melhores e mais profissionais como a Ecoline Branca.

Por enquanto as avaliações não foram muito boas, mas o melhor está por vir. Até o próximo post.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Aguarde um pouco. Assim que eu ler seu comentário, ele será publicado e terei o maior prazer em respondê-lo.

Agradeço por comentar!

Um abraço e até breve.